Segurança

Madeira Island Ultra-Swim
Madeira Island Ultra-Swim

Protocolo Segurança

O mais importante de tudo.

Plano de Segurança Madeira Island Ultra Swim

O plano de segurança do MIUS – Madeira Island Ultra Swim, integra diversas estruturas de resposta à emergência, em várias áreas de atuação, cada uma com protocolos de segurança específicos, que respondem de forma padronizada no âmbito da execução do plano de segurança do MIUS.

O plano de segurança do MIUS é composto pelas seguintes estruturas de resposta:

EQUIPA EMERGÊNCIA – A equipa de emergência é assegurada pelo Grupo HPA Saúde – Hospital Particular da Madeira, estruturada com um quantitativo de profissionais, ajustado ao número de participantes e distribuídos pelos pontos de controlo/abastecimento ao longo do percurso, em zona criada para o efeito. Esta equipa de resposta articula com a coordenadora de emergência e com as equipas de emergência pré-hospitalar de cada segmento.

A coordenadora de emergência do evento é a Dr.ª Rubina Gouveia, especialista em cirurgia geral. Toda a equipa de emergência estará corretamente identificada com colete.

OBJETIVOS

O objetivo da equipa de emergência é assegurar e otimizar as condições clínicas dos atletas para que consigam atingir os seus objetivos na prova.

Nas situações em que o atleta indicie incapacidade física ou mental para a continuidade em prova, a equipa de emergência reportará à coordenadora de emergência, as incapacidades identificadas de forma ao processo de decisão seja realizado em articulação com o diretor de prova, próprio atleta e a sua equipa.

EQUIPA SOCORRO AQUÁTICO – A equipa de socorro aquático é assegurada por um conjunto de Unidades de Salvamento, de entidades integrantes da Estrutura Auxiliar do Sistema Nacional de Busca e Salvamento Marítimo da Região Autónoma da Madeira e de entidades externas cujas capacitação corresponda aos requisitos de resposta à emergência aquática.

O Plano de Segurança Madeira Island Ultra Swim será estruturado em articulação com a Capitania do Porto do Funchal e com o Serviço Regional de Proteção Civil, IP-RAM, no âmbito das respetivas competências, em razão de matéria e espaço.

OBJETIVOS

O objetivo da equipa de socorro aquático é assegurar o apoio e resgate dos atletas, em situações de incapacidade física ou mental dentro da água, em situação de cancelamento do MIUS – Madeira Island Ultra Swim, após instrução do diretor de prova.

Nas situações em que o atleta indicie incapacidade física ou mental para a continuidade em prova, a equipa de emergência aquática poderá recolher o atleta por solicitação do próprio, ou por instrução do coordenador de socorro aquático, mediante validação do diretor de prova.

O coordenador de socorro aquático do evento é em acumulação de funções o diretor de prova.

EQUIPA SEGURANÇA AQUÁTICA – A equipa de segurança aquática é assegurada por um conjunto de embarcações de propulsão, das diversas entidades e organizações desportivas da Região Autónoma da Madeira.

OBJETIVOS

O objetivo da equipa de segurança aquática é assegurar o apoio de proximidade aos atletas, de forma a salvaguardar maior orientação e eficiência no trajeto durante os segmentos do MIUS – Madeira Island Ultra Swim.

O coordenador de segurança aquática do evento é o Sota-Patrão Jorge Nascimento, nadador-salvador coordenador e formador de sobrevivência no mar.
Protocolo em caso de cancelamento da prova após o seu início

CANCELAMENTO DA PROVA

É da responsabilidade do Diretor de prova, efetuar a avaliação prévia das condições necessárias para a realização da prova. No entanto, constatando-se alteração significativa, que comprometa a segurança e a respetiva necessidade de cancelar a prova por algum motivo, os atletas são recolhidos da água, de acordo com os seguintes procedimentos:

1. Comunicação via radio entre todas as embarcações que a prova foi suspensa;
2. Após instruções do Diretor de Prova, todas as embarcações ativam o alarme sonoro de cancelamento de prova;
3. Cada embarcação fica responsável por recolher os atletas num raio de 1km, reportando a sua identificação após embarque;
4. Cada nadador deverá utilizar a própria boia individual, em caso de necessidade de incremento de flutuabilidade, de forma a garantir a sua segurança, enquanto não é recolhido do mar;
5. A recolha dos atletas e transbordo para os pontos de controlo, será realizada de acordo com o protocolo de segurança em cada embarcação, salvaguardando a as condições de segurança impostas pelo skipper e as instruções da direção de prova;
6. Durante a evacuação, os nadadores manterão sua posição e procederão com a maior cautela possível;
7. Após a suspensão da prova, todos os nadadores têm a obrigação de obedecer às equipas de segurança da organização, não podendo continuar em prova ou no percurso da mesma;
8. Cada embarcação assegura um padrão de buscas, de forma a confirmar que não fica nenhum nadador no mar, de acordo com a lista de nadadores no segmento, previamente reportada e comunica ao Diretor de Prova os nadadores recolhidos, para contagem dos nadadores;
9. Os atletas devem manter sempre o chip., que deverá apenas ser entregue aos responsáveis da arbitragem/controlo de segurança que se encontram em cada posto de abastecimento;
10. Em caso de perda do chip, é muito importante informar os membros do controle segurança, do ocorrido, assim como dar o nome aos membros da organização dedicados ao registro de nadadores.

MEDIDAS SEGURANÇA INDIVIDUAL

  • Utilização de touca que possui número do nadador;
  • Chip de controlo de tempo e segurança;
  • Apito;
  • Boia de segurança com número do dorsal.

RAZÕES PARA RECOLHA DO NADADOR EM PROVA
– A pedido do próprio nadador;
– Não demonstre coerência técnica na natação;
– Demonstre incapacidade física ou mental para a continuidade em prova, validada pela equipa de emergência;
– Não cumprir as delimitações do percurso estabelecidas pela organização;
– Mostrar comportamento agressivo;
– Não ajudar e reportar a necessidade de auxílio ou ajuda a outro nadador que o solicite.
– Ultrapassar os limites horários, estabelecidos no regulamento para cada controlo, nas diferentes distâncias;
– Não cumprir com o regulamento da prova.

SINAIS DE ASISTÊNCIA OU NECESSIDADE DE APOIO
1. Utilização do apito;
2. Utilização da boia de segurança antes do final da prova;
3. Movimentos gestuais para as tripulações das embarcações de segurança;
4. Em caso de maior necessidade, comunicar a um dos nadadores em prova para
apoiá-lo e permanecer ao seu lado

Nota: Os sinais de assistência ou necessidade de apoio são posteriormente comunicados no kit do atleta.oio são posteriormente comunicados no kit do atleta.

Madeira Island Ultra-Swim®

Formulário Médico

A sua segurança está em primeiro lugar.

No MIUS® fazemos tudo o que está ao nosso alcance para que o apoio clínico seja o mais assertivo e eficaz possível.

A sua segurança está em primeiro lugar. O conhecimento dos antecedentes clínicos de cada nadador torna-se determinante para que consigamos proporcionar os melhores tratamentos, atendendo aos pormenores.

Assim, em caso de perda de consciência ou outra situação que o impeça de comunicar, sabemos antecipadamente a sua história clínica e poderemos optimizar os nossos procedimentos, bem como comunicar à equipa hospitalar se assim for necessário.

Salientamos que os dados são confidenciais e utilizados apenas para o apoio clínico durante o evento.