Segurança

Madeira Island Ultra-Swim
Madeira Island Ultra-Swim

Protocolo Segurança

O mais importante de tudo.

Plano de Segurança Madeira Island Ultra Swim

O plano de segurança do MIUS – Madeira Island Ultra Swim, integra diversas estruturas de resposta à emergência, em várias áreas de atuação, cada uma com protocolos de segurança específicos, que respondem de forma padronizada no âmbito da execução do plano de segurança do MIUS.

O plano de segurança do MIUS é composto pelas seguintes estruturas de resposta:

EQUIPA EMERGÊNCIA – A equipa de emergência é assegurada pelo Grupo HPA Saúde – Hospital Particular da Madeira, estruturada com um quantitativo de profissionais, ajustado ao número de participantes e distribuídos pelos pontos de controlo/abastecimento ao longo do percurso, em zona criada para o efeito. Esta equipa de resposta articula com a coordenadora de emergência e com as equipas de emergência pré-hospitalar de cada segmento.

A coordenadora de emergência do evento é a Dr.ª Rubina Gouveia, especialista em cirurgia geral. Toda a equipa de emergência estará corretamente identificada com colete.

OBJETIVOS

O objetivo da equipa de emergência é assegurar e otimizar as condições clínicas dos atletas para que consigam atingir os seus objetivos na prova.

Nas situações em que o atleta indicie incapacidade física ou mental para a continuidade em prova, a equipa de emergência reportará à coordenadora de emergência, as incapacidades identificadas de forma ao processo de decisão seja realizado em articulação com o diretor de prova, próprio atleta e a sua equipa.

EQUIPA SOCORRO AQUÁTICO – A equipa de socorro aquático é assegurada por um conjunto de Unidades de Salvamento, de entidades integrantes da Estrutura Auxiliar do Sistema Nacional de Busca e Salvamento Marítimo da Região Autónoma da Madeira e de entidades externas cujas capacitação corresponda aos requisitos de resposta à emergência aquática.

O Plano de Segurança Madeira Island Ultra Swim será estruturado em articulação com a Capitania do Porto do Funchal e com o Serviço Regional de Proteção Civil, IP-RAM, no âmbito das respetivas competências, em razão de matéria e espaço.

OBJETIVOS

O objetivo da equipa de socorro aquático é assegurar o apoio e resgate dos atletas, em situações de incapacidade física ou mental dentro da água, em situação de cancelamento do MIUS – Madeira Island Ultra Swim, após instrução do diretor de prova.

Nas situações em que o atleta indicie incapacidade física ou mental para a continuidade em prova, a equipa de emergência aquática poderá recolher o atleta por solicitação do próprio, ou por instrução do coordenador de socorro aquático, mediante validação do diretor de prova.

O coordenador de socorro aquático do evento é em acumulação de funções o diretor de prova.

EQUIPA SEGURANÇA AQUÁTICA – A equipa de segurança aquática é assegurada por um conjunto de embarcações de propulsão, das diversas entidades e organizações desportivas da Região Autónoma da Madeira.

OBJETIVOS

O objetivo da equipa de segurança aquática é assegurar o apoio de proximidade aos atletas, de forma a salvaguardar maior orientação e eficiência no trajeto durante os segmentos do MIUS – Madeira Island Ultra Swim.

O coordenador de segurança aquática do evento é o Sota-Patrão Jorge Nascimento, nadador-salvador coordenador e formador de sobrevivência no mar.
Protocolo em caso de cancelamento da prova após o seu início

CANCELAMENTO DA PROVA

É da responsabilidade do Diretor de prova, efetuar a avaliação prévia das condições necessárias para a realização da prova. No entanto, constatando-se alteração significativa, que comprometa a segurança e a respetiva necessidade de cancelar a prova por algum motivo, os atletas são recolhidos da água, de acordo com os seguintes procedimentos:

1. Comunicação via radio entre todas as embarcações que a prova foi suspensa;
2. Após instruções do Diretor de Prova, todas as embarcações ativam o alarme sonoro de cancelamento de prova;
3. Cada embarcação fica responsável por recolher os atletas num raio de 1km, reportando a sua identificação após embarque;
4. Cada nadador deverá utilizar a própria boia individual, em caso de necessidade de incremento de flutuabilidade, de forma a garantir a sua segurança, enquanto não é recolhido do mar;
5. A recolha dos atletas e transbordo para os pontos de controlo, será realizada de acordo com o protocolo de segurança em cada embarcação, salvaguardando a as condições de segurança impostas pelo skipper e as instruções da direção de prova;
6. Durante a evacuação, os nadadores manterão sua posição e procederão com a maior cautela possível;
7. Após a suspensão da prova, todos os nadadores têm a obrigação de obedecer às equipas de segurança da organização, não podendo continuar em prova ou no percurso da mesma;
8. Cada embarcação assegura um padrão de buscas, de forma a confirmar que não fica nenhum nadador no mar, de acordo com a lista de nadadores no segmento, previamente reportada e comunica ao Diretor de Prova os nadadores recolhidos, para contagem dos nadadores;
9. Os atletas devem manter sempre o chip., que deverá apenas ser entregue aos responsáveis da arbitragem/controlo de segurança que se encontram em cada posto de abastecimento;
10. Em caso de perda do chip, é muito importante informar os membros do controle segurança, do ocorrido, assim como dar o nome aos membros da organização dedicados ao registro de nadadores.

MEDIDAS SEGURANÇA INDIVIDUAL

  • Utilização de touca que possui número do nadador;
  • Chip de controlo de tempo e segurança;
  • Apito;
  • Boia de segurança com número do dorsal.

RAZÕES PARA RECOLHA DO NADADOR EM PROVA
– A pedido do próprio nadador;
– Não demonstre coerência técnica na natação;
– Demonstre incapacidade física ou mental para a continuidade em prova, validada pela equipa de emergência;
– Não cumprir as delimitações do percurso estabelecidas pela organização;
– Mostrar comportamento agressivo;
– Não ajudar e reportar a necessidade de auxílio ou ajuda a outro nadador que o solicite.
– Ultrapassar os limites horários, estabelecidos no regulamento para cada controlo, nas diferentes distâncias;
– Não cumprir com o regulamento da prova.

SINAIS DE ASISTÊNCIA OU NECESSIDADE DE APOIO
1. Utilização do apito;
2. Utilização da boia de segurança antes do final da prova;
3. Movimentos gestuais para as tripulações das embarcações de segurança;
4. Em caso de maior necessidade, comunicar a um dos nadadores em prova para
apoiá-lo e permanecer ao seu lado

Nota: Os sinais de assistência ou necessidade de apoio são posteriormente comunicados no kit do atleta.oio são posteriormente comunicados no kit do atleta.

Madeira Island Ultra-Swim®

Formulário Médico

A sua segurança está em primeiro lugar.

No MIUS® fazemos tudo o que está ao nosso alcance para que o apoio clínico seja o mais assertivo e eficaz possível.

A sua segurança está em primeiro lugar. O conhecimento dos antecedentes clínicos de cada nadador torna-se determinante para que consigamos proporcionar os melhores tratamentos, atendendo aos pormenores.

Assim, em caso de perda de consciência ou outra situação que o impeça de comunicar, sabemos antecipadamente a sua história clínica e poderemos optimizar os nossos procedimentos, bem como comunicar à equipa hospitalar se assim for necessário.

Salientamos que os dados são confidenciais e utilizados apenas para o apoio clínico durante o evento.

Madeira Island Ultra-Swim

Parceiros MIUS®

Entidades e Empresas que patrocinam o projeto MIUS®.

Golden Sponsors
Main Sponsors
Sponsors
Media Sponsors
Partners

Ondas Calmas

Fisioterapia & Osteopatia -

Fisioterapia & Osteopatia

SVR Sun Secure

SVR Sun Secure

ADN Ponta do Sol

ADN Ponta do Sol

Madeira Seguros

Madeira Seguros

C.M. Calheta

C.M. Calheta

Fisioterapia & Osteopatia -

C.M. Câmara de Lobos

PKF

C.M. Ribeira Brava

Associação de Municípios da Região Autónoma da Madeira

Associação de Municípios da RAM

Scullings

Scullings

C.M. Calheta

Fnac

Swim Secure

Swim Secure

Swim Secure

NP Publicidade

Swim Secure

NP Racing

Gesba

Gesba